Abraham Palatinik
Aldemir Martins
Alfredo Volpi
Amilcar de Castro
Angelo de Aquino
Anna Bella Geiger
Anna Letycia Quadros
Anna Maria Maiolino
Antonio Dias
Antonio Henrique Amaral
Antonio Lizárraga
Antonio Maia
Antonio Maluf
Antonio Peticov
Antonio Poteiro
Arcangelo Ianelli
Arnaldo Battaglini
Arthur Luiz Piza
Athos Bulcão
Beatriz Milhazes
Caciporé Torres
Camila Sposati
Carlos Cruz Diez
Carlos Vergara
Carybé
Cícero Dias
Cildo Meireles
Claudio Tozzi
Daniel Senise
Dionisio Del Santo
Eduardo Sued
Emanoel Araujo
Esther Grinspum
Fabre Rolim
Fayga Ostrower
Fernando Ferreira de Araujo
Ferreira Gullar
Flavio de Carvalho
Flavio Shiró
Francisco Rebolo
Frans Krajcberg
Fulvio Pennacchi
Geraldo de Barros
Gilvan Samico
Gonçalo Ivo
Gustavo Rosa
Guto Lacaz
Hércules Barsotti
Iberê Camargo
Iran do Espírito Santo
Ivald Granato
José Tarantino
Judith Lauand
Julio Le Parc
Julio Plaza
Kleber Ventura - Abstrato
Kleber Ventura - Figurativo
Leda Catunda
Leon Ferrari
Liliana Alves
Luciano Macedo
Luis Hermano
Luiz Sacilotto
Lygia Eluf
Lygia Pape
Macaparana
Manabu Mabe
Manfredo Souza Neto
Manoel Novello
Marcelo Grassmann
Marcos Coelho Benjamin
Maria Bonomi
Mavignier
Max Bill
Milton Dacosta
Nelson Leirner
Oscar Niemeyer
Paulo Pasta
Paulo Whitaker
Pitágoras
Ramón Cáceres
Regina Silveira
Roberto Burle Marx
Roberto Magalhães
Roma Drumond
Rubem Ludolf
Rubem Pondé
Rubem Valentim
Rubens Gerchman
Sergio Lucena
Sérvulo Esmeraldo
Siron Franco
Sonia Ebling
Tomie Ohtake
Toyota
Tuneu
Victor Vasarely
Wakabayashi
Waltercio Caldas
Wanda Pimentel
Wesley Duke Lee
Willys de Castro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Luiz Sacilotto

Luiz Sacilloto (1924 - 2003)


Filho de imigrantes italianos, Luiz Sacilotto nasceu em Santo André, Estado de São Paulo,em 1924.
O artista nasceu e cresceu no maior pólo industrial do país em um período de grande desenvolvimento social, político e econômico, sempre ouvindo os apitos das fábricas.Foi nesta cidade que montou seu ateliê-residência. Diplomado em 1943 em escola profissional, ingressou no ano seguinte na Hollerith do Brasil como desenhista e projetista de esquadrias metálicas.
Paralelamente, Sacilotto desenvolveu sua carreira artística. Sua obra conheceu uma fase figurativa, na década de 40, e o período concreto, que se estendeu por toda a segunda metade do século passado. Participou da exposição "Ruptura", realizada no Museu de Arte Moderna de São Paulo em 1952 e foi um dos signatários do manifesto de mesmo nome, que marcou o início do movimento concretista brasileiro. Waldemar Cordeiro, que liderava o grupo, identificaria posteriormente Sacilotto como "viga mestra da arte concreta", movimento que segundo o crítico de arte Enock Sacramento, maior estudioso da obra do artista, "foi responsável pela mais incisiva renovação da visualidade brasileira no Século XX.
Desde cedo seu currículo se construiu de forma coerente e invejável. Participou de seis Bienais de São Paulo em 1951, 53, 55, 57, 61 e 67; da Bienal de Veneza em 1952, da Exposição Nacional de Arte Concreta em São Paulo em 1956 e no Rio de Janeiro em 1957. Expôs também na Konkrete Kunst (exposição nacional de arte concreta em Zurique) em 1960 organizada por Max Bill em diversas galerias.
A Arte Concreta foi um dos movimentos artísticos mais importantes ocorridos no Brasil no século XX, influenciando a literatura, a arquitetura, a música, o desenho industrial, a comunicação visual.
A sistematização do movimento, repetição e os jogos ópticos são os pontos fundamentais para a construção de sua obra que mantém-se sempre ligada e relacionada aos meios de produção. O jogo dinâmico que impõe às suas imagens nos provoca o olhar, percebemos seus recortes, seus giros, a multiplicidade das formas geométricas, o jogo interminável das ilusões ópticas.
Sacilotto sempre se manteve interessado em experimentações, desde o início fez uso de materiais e técnicas diversas. Trabalhou com um grande rigor formal sem renunciar à sensibilidade.
Luiz Sacilotto faleceu dia 09 de fevereiro de 2003 no ABC paulista onde sempre viveu. Deixou um significativo conjunto de obras que evidencia sua importante trajetória artística: desenhos, gravuras, guaches, esculturas, pinturas, obras públicas, além de um grande número de projetos.
Luiz Sacilotto era um artista universal que sempre se manteve fiel a sua obra e seus conceitos. Um exemplo de artista sensível à emoção das linhas exatas e ângulos rigidamente traçados.


Fonte: Paula Caetano
Artista Plástica e mestre em Artes Visuais

Obras:  
 Composição
 Composição IV
 Composição I
 Composição V
 Composição IX
 Composição X
 Composição II
 Composição XI
 Composição XII



Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 306 - São Paulo - SP - CEP 01442-000
Tel: (11) 3898-0190 / 3081-8223
Siga-nos:
Papel Assinado no Facebook Papel Assinado no Instagram